Metodologia Geral

              Planta Matriz

A planta matriz é aquela da qual serão retirados os explantes, ou seja, os segmentos de tecido ou órgão vegetal utilizado para iniciar a cultura in vitro. Os cuidados com a planta matriz devem assegurar o seu bom estado fisiológico (nutricional e hídrico) e fitossanitário. Nessas condições as plantas, em geral, fornecem melhores explantes.

O estágio de desenvolvimento da planta também tem influência direta sobre a resposta do explante in vitro, devendo-se utilizar explantes coletados de regiões meristemáticas juvenis.

A sanidade da planta matriz é um importante fator no que tange à facilidade de descontaminação do explante no processo de isolamento.

Seleção e Coleta dos Explantes

A princípio, qualquer tecido é capaz de expressar a totipotencia, ou seja, a capacidade de formação de uma planta inteira, a partir de uma única célula. Geralmente para iniciar-se o cultivo in vitro são utlizados explantes de tecidos jovens com tamanhos que podem variar de 0,2mm a 20mm ou mais. O tamanho do explante, em geral, está relacionado com o objetivo do trabalho, devendo ser o menor possível quando se trata de obter a limpeza clonal. Por outro lado, o tamanho do explante determina suas chances de sobrevivência e desenvolvimento

A assepsia durante a coleta é um ponto de grande importância, devendo-se usar instrumentos limpos ou mesmo esterilizados.

O explante, quando coletado de uma planta distante do laboratório, deverá ser acondicionado em recipiente limpo e mantido ao abrigo da luz e umedecido, para evitar seu ressecamento.